Follow me on Twitter RSS FEED

O que fazer quando uma onda te derrubar.

Sentei-me com Si Fu no "Benkei da Loirinha"(FOTO) para planejarmos a próxima viagem à Europa no início do semestre passado, e Si Fu parecia animado. Segundo ele, não estava acreditando muito no meu projeto até perceber o quanto tinha estudado desde a última viagem. 
Foi também sentado de frente para Si Fu meses antes, que ele me disse algo como: "Quando uma onda grande te pega e você parece que está numa máquina de lavar, se você começar a nadar desesperadamente, você só vai gastar energia, porque de 360º  de possibilidades,você pode estar nadando na direção errada. Sabe o que se faz numa situação assim? Nada. Você para e espera a onda acabar de bater."
Ir para a Suiça(FOTO) não estava nos meus planos(risos). Porém, de toda a viagem épica que fizemos no ano de 2019, sem dúvidas, a Suiça para mim ficou como ponto alto dos meus momentos com Si Fu. 
Das brincadeiras dele dizendo que o avião iria cair enquanto ficamos 30 minutos presos numa nuvem com turbulências antes de pousarmos em Zurich, passando pela caminhada que fizemos ao chegarmos pelas ruas sem cor dos subúrbios de Zurich, fingindo que estávamos num episódio de "Black Mirror", até nossa tão especial conversa na volta para o hotel, quando o Si Fu disse que eu era como um vampiro. Foram momentos que me fizeram perceber o quanto tenho sorte de ter conhecido o Si Fu. Meu irmão Kung Fu Gil Batista, não quis ir comigo no dia que fui conhecer o Mo Gun em 1999, ele só apareceu em 2003. Mais tarde, no ano de 2007, ele desistiu de nosso "Baai Si" na última hora. Às vezes, uma simples decisão muda tudo...
Foi em Zurich que tive contato com a música "Primavera" de Ludovic Einaud. Sempre que a escuto, me lembro de Zurich e da viagem à Europa. Foi esse mesmo Ludovic Einaud, com sua música "Le Onde", que embalou a nossa demonstração no Teatro Odylo Costa Filho da UERJ em 2007, por sugestão minha. Havia ficado apaixonado por essa música que foi a trilha daquele ano, o ano exatamente do meu "Baai Si". 
Digo isso, porque o almoço nesse dia na Suiça foi um dos mais especiais de minha história com Si Fu. E fica a lição aqui de ouvir sempre o Si Fu. Como Si Gung diz: "Toda a relação e toda a conversa, começam com 'Sau' (obedecer)." - Porque de todas as mesas que nos separavam, fosse durante uma conversa ou durante uma refeição. Nunca me imaginei tão longe com Si Fu, sentado à mesa em Zurich. 
Ouvindo "Primavera" no quarto do hotel em Zurich enquanto Si Fu descansava no final da tarde, me lembrei de quando ouvia "Le Onde" do mesmo músico no ano de meu Baai Si. E de quão longe essa relação chegara e de quão profunda ela ficou desde então. 
Então, se uma onda te pegar, o melhor é não fazer nada, e esperar ela parar de bater. 


O discípulo número 02 do Mestre Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@Gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário